Acervo - O Candeeiro
Participação das mulheres na construção das cisternas e os benefícios da captação da água de chuva para produção

Animada na busca por oportunidades e melhorias para sua comunidade, a agricultora Isis Laila Freire (36), da comunidade tradicional de Fundo de Pasto Brejo de Dentro, município de Sento Sé-BA, tornou-se uma liderança comunitária. Laila mora com a tia, dona Ana Freire (68) e o filho caçula Paulo César (15). Além de cuidar dos afazeres domésticos, que são divididos na sua residência, ela integra uma horta comunitária composta por mulheres.

Ler mais


Arte Alegre: mulheres quilombolas tecem na arte caminhos de resistência

Desde 2001, o grupo atua na capacitação e fortalecimento de geração de renda das mulheres do Quilombo de Alegre, em Januária (MG). A iniciativa se tornou um espaço de encontro semanal, toda quarta-feira, permitindo às mulheres se fortalecerem através do compartilhamento de diferentes técnicas artesanais. Atualmente, as artesãs criam e vendem peças de crochê, ponto cruz, ponto livre, oitinho e vagonite.

Ler mais


conhecimento popular:uma caminhada de paixão pela apicultura

Os apicultores Maurício e seu pai, Mauro, trabalham em conjuntos na propriedade de 15 hectares e meia da família, localizada na comunidade de Campo de Pouso. Ao longo do tempo, a apicultura passou de atividade secundária, quando compartilhava espaço com a criação de gado de leite, para se tornar a principal fonte de renda da família. Maurício relata que seu pai começou as atividades na apicultura há 21 anos, quando ele tinha 14 anos.

Ler mais


conhecimento popular: a arte sustentável da verd limp

Enivalda Maria, a líder do grupo, relata que tudo começou quando ela participava de um coletivo de mulheres da Serra Geral, um espaço onde elas se incentivavam mutuamente a buscar autonomia. Foi nesse ambiente que Enivalda teve o primeiro contato com um grupo de mulheres que já se dedicava à fabricação de sabão, entre outros artesanatos. Ela se mostrava impressionada ao ver as mulheres do coletivo apresentarem suas produções de artesanato e sabão

Ler mais


QUEBRANDO TABUS E EMPODERANDO MULHERES NO SEMIÁRIDO

Aneli de Fátima Pereira, 45 anos, é agricultora, artesã, apicultora e construtora de cisternas. Ela é moradora da comunidade Quilombola de Faceira, localizada a aproximadamente 4 quilômetros do município de Chapada do Norte, em Minas Gerais (MG), onde vive com seus pais. Desde muito nova, possuía muitas responsabilidades. Enquanto seus irmãos migravam para o corte de cana em São Paulo, as mulheres ficavam com os pais para ajudar em casa.

Ler mais


Filtre as publicações

Isso facilitará a sua busca