P1MC
19.10.2015 MA
Tecnologias sociais à serviço do povo: ampliando as parcerias para conviver com o Semiárido no Maranhão

Voltar


Por Tiago Jansen - Assessor Pedagógico ASA Maranhão

Etapas do processo construtivo no MA | Foto: ASA Maranhão

Uma entidade filantrópica da Igreja Católica está financiando a construção de 10 cisternas de placas à famílias da região da Diocese de Balsas (MA), que abrange os municípios de Balsas, Mirador, São Félix de Balsas, Sucupira do Norte, Loreto, Sambaíba, São Raimundo das Mangabeiras, Tasso Fragoso, Fortaleza dos Nogueiras, Alto Parnaíba, Pastos Bons, Riachão, Paraibano, São Domingos do Azeitão, Benedito Leite e Nova Iorque. 

O processo metodológico e pedagógico da construção e uso das cisternas está sendo realizado com a colaboração da AMAP (Associação do Movimento Agrícola e Popular), organização da ASA Maranhão. O projeto está possibilitando, além da construção das tecnologias, a realização de um curso de cisterneiro e do curso de GRH (Gestão de Recursos Hídricos para um uso racional da água).

Na comunidade Água Alva, município de Loreto (MA), a construção da cisterna está avançada e está levando mais entusiasmo para poder enfrentar melhor a crise nos meses de estiagem no Semiárido maranhense.

A chamada pública da AP1MC para o Programa Um Milhão de Cisternas

A Associação Programa Um Milhão de Cisternas para o Semiárido (AP1MC) lança novo edital público para execução do Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC). O projeto prevê a implementação de 31.080 tecnologias de primeira água, atendendo cerca de 155 mil pessoas. Serão selecionadas 40 organizações por um período aproximado de 10 meses. A chamada segue aberta para receber propostas das entidades até amanhã, dia 20/10.

Acesse o link da chamada pública clicando aqui.

No Maranhão, a chamada pública da AP1MC está financiando a construção de 800 cisternas em três municípios – Codó (400 unidades), Timbiras (150 unidades) e Vargem Grande (250 unidades).