8 de Março
06.03.2017 SE
Mulheres em Luta: A previdência é nossa ninguém tira ela da Roça

Voltar


Por Daniela Bento - Comunicadora do Centro Dom José Brandão de Castro

Em Sergipe, mulheres do campo e da cidade se unem para debater direitos, entre eles, a reforma da previdência | Foto: Dani Bento

Embaladas pelo o sentimento de luta entoado no grito de guerra: “a previdência é nossa ninguém tira ela da Roça”, aconteceu nesse dia 04, no Centro de Formação Canudos, localizado no Assentamento Moacyr Wanderlei, no Povoado Quissamã, no município de Nossa Senhora do Socorro, vizinho a Aracaju, a Plenária Estadual unitária das Mulheres, como etapa preparatória das mobilizações do 8 de Março, que nacionalmente vem assumindo o Lema: Mulheres em Luta e tem como principal pauta,  barrar a Reforma da Previdência.

Nesse sentido, o foco principal desse momento foi aprofundar o debate sobre os impactos na vida das trabalhadoras rurais e da cidade, caso a reforma seja aprovada, foi realizada uma roda de conversa com a advogada do coletivo jurídico do Movimento dos Pequenos Agricultores/as (MPA), Ramielli Rafael. O encontro contou com a participação de aproximadamente 60 mulheres de vários territórios e movimentos, redes e articulações.

Além do debate sobre a previdência, o momento foi também para consolidar as pautas estaduais e socializar os diversos atos que acontecerão no dia 08, em várias regiões de Sergipe. Numa tentativa de massificar a luta contra a Reforma da Previdência, as mulheres estarão ocupando as ruas e praças em vários pontos do estado de Sergipe.

No Sul Sergipano a mulherada fará seu ato na Praça da Matriz da Cidade de Estância, além da pauta nacional as mulheres reivindicam a conquista de Centro de Referência da Mulher. O Alto Sertão terá como ponto de concentração a sede do INSS, localizado em Nossa Senhora da Glória e de lá seguirá em marcha pelas ruas e terá mais duas paradas, uma em frente a Companhia de Saneamento de Sergipe – Deso, onde acontecerá ato contra a privatização desse órgão, em seguida para o escritório da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe – EMDAGRO, onde exigirão ações de convivência e enfrentamento aos efeitos da seca.

O Sertão Ocidental se concentrará em frente ao INSS. Na grande Aracaju o grito das mulheres contra a Reforma iniciará na Praça Camerino, localizada no centro da cidade e seguirá em marcha até a sede da previdência. Ainda acontecerão mais dois atos com pautas especificas: Um em Canindé de São Francisco e Indiaroba, fechando assim 07 atos em todo o estado.